China lança advertência à Índia para que retire suas tropas do Tibete

Por Sagran Carvalho.

Camaradas,

E as disputas geopolíticas atuais não se resumem às ameaças nada veladas entre Estados Unidos e Coréia do Norte.

Tambores da guerra também rufam entre Índia e China, tendo o Tibete como motivo de discórdias.

Os chineses hoje enviaram uma mensagem forte em um Editorial através do “Diário do Povo”, o jornal porta-voz do regime chinês:

“A paciência do Governo chinês para a ocupação de parte do seu território por tropas indianas no Tibete “está se esgotando” e o país vizinho “está brincando com fogo e pode se queimar”.

O editorial volta a pedir à Índia que retire imediatamente seus soldados da região chinesa de Doklam, fronteiriça entre ambos países e o Butão, e aponta que a incursão, que se prolonga há quase dois meses, “revela as ambições geopolíticas indianas”.

“A Índia está há muito tempo tentando dominar a Ásia”, assegura o artigo de opinião, que diz que o exército indiano entrou em território chinês com a desculpa de proteção a seu aliado Butão, o que para o jornal “não é mais que um pretexto para os seus sonhos de superpotência”.

A China acusa a Índia da entrada ilegal em seu território de 270 soldados armados e duas escavadoras a fim de paralisar as obras de uma estrada em Doklam, pequeno território controlado por Pequim mas reclamado pelo Butão, país que tem na Índia seu principal aliado.

O “Diário do Povo” assegurou que “para neutralizar a crise, a Índia deve retirar imediatamente as tropas dessa área”, e pediu à potência vizinha que lembre da cooperação que ambos países protagonizaram no seio de organizações como o bloco de países emergentes BRICS ou a Organização para a Cooperação de Xangai.

No fim-de-semana passado, analistas citados pelo jornal “Global Times”, do mesmo grupo midiático que o “Diário do Povo”, advertiram que o Exército chinês poderia lançar no prazo de duas semanas uma operação militar contra os soldados indianos que há dois meses ocupam território da China.

Teme-se que isso afete negativamente as relações entre os dois países, quando resta menos de um mês para que a China acolha a cúpula de países emergentes BRICS, à qual é esperado o comparecimento dos máximos líderes da Índia, Rússia, Brasil e África do Sul.

Apoie o Café no Front. Seja nosso Comandante com contribuições mensais a partir de R$ 1,00. Ajude-nos a divulgar a história militar. É só acessar o link abaixo para ser um do nossos Generais:

Apoio Café no Front

Curta Café no Front no Facebook.

apoia-se-03

Com informações da Efe.

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s